Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/01/22 às 17h43 - Atualizado em 10/01/22 às 17h43

Retomada do Autódromo vai trazer mais turistas para Brasília

COMPARTILHAR

Calendário de provas conta com 12 datas até o final do ano. Início das competições está marcado para julho. Mercado aposta no aquecimento do Turismo no DF.

 

O Autódromo tem circuito com 5.475,58 metros, seis curvas para a esquerda e seis para a direita, com a maior reta chegando a 750 metros. Foto: Arquivo/Agência Brasília

 

 

Sem corridas desde 2014, o Autódromo Internacional Nelson Piquet de Brasília volta a receber competições no início do mês de julho e ganha um calendário com 12 provas para 2022. O anúncio feito nesta segunda-feira pelo governador em exercício, Paco Britto, e foi recebido com entusiasmo pelo segmento turístico no Distrito Federal. O Autódromo, que pertence à Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), passa a ser gerenciado Banco de Brasília e será usado também para outros tipos de eventos.

 

“A população ganha o autódromo de volta. Nós já tivemos cinco pilotos na Fórmula 1, que começaram no DF. Nós voltaremos a ser protagonistas nesta categoria de automobilismo internacional também”, disse Paco Brito. Ele observou que a expectativa do GDF é movimentar o turismo e o comércio na cidade nos 24 finais de semana de provas. Ele disse que não há uma estimativa do impacto econômico com a realização das competições.

 

Secretária de Turismo, Vanessa Menonça: “Dia histórico para Brasília”. Foto: Reanato Braga/Setur-DF

 

 

Para a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, hoje foi um dia histórico para Brasília. “Essa é uma excelente notícia para Brasília, um dia histórico, mais um grande resgate do governador Ibaneis Rocha. O automobilismo faz parte da nossa história, grandes pilotos nasceram aqui. Pelo olhar do turismo isso é fantástico, pois nós temos condições de trazer todas as provas do circuito para a nossa capital. Brasília está preparada”, afirma a secretária.

 

Segundo Vanessa Mendonça, o turismo esportivo é o maior arrecadador de recursos no turismo de eventos. De acordo com a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), somente a Stock Car movimenta cerca de R$ 150 milhões em 12 provas anuais, gerando mais de 1.200 empregos.

 

 

MERCADO


O presidente da Associação Brasileira de Hotéis de Brasília (ABIH), Henrique Severien, disse que o autódromo é um grande equipamento para o aumento de fluxo de pessoas. “Com a reativação, nós da hotelaria, estamos muito felizes, sabemos do esforço da iniciativa privada para essa retomada, mas principalmente, do poder público, e parabenizamos a visão de resgatar esse equipamento para colocá-lo em funcionamento”.

 

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL), Beto Pinheiro, espera um incremento no segmento gastronômico, com o público externo que as corridas levam para as sedes das competições. “Com certeza, isso vai aumentar muito o fluxo de turistas aqui na cidade e agrega para todo o trade turístico. Agrega para hotéis, bares, restaurantes, táxis, aplicativos e faz a nossa economia girar. Então, a notícia é muito boa, e temos certeza de que realmente vai fazer muita diferença pra gente”, disse o empresário.

 

Renato Constantino, presidente da Federação do Automobilismo do DF (FADF), disse que 406 pilotos se filiaram e participaram de eventos estaduais, regionais e nacionais. “Brasília tem grandes pilotos e o governador Ibaneis Rocha e o vice-governador Paco Britto acreditaram no projeto da restauração do Autódromo, e com isso, nós vamos fomentar o esporte, o turismo e a economia de uma forma grandiosa. E 2022 será o ano do automobilismo”, comemora Constantino.

 

“A gente quer incluir Brasília nesse circuito”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa. Segundo ele, o objetivo é liberar o autódromo para competições regionais em junho. A expectativa é que a F4, categoria que sucede o kart, ocorra no autódromo em julho.

 

O autódromo Nelson Piquet teve sua última prova realizada em 2014 e chegou a ser usado como abrigo para a população em situação de vulnerabilidade ao longo da pandemia. Depois que as tendas foram desmobilizadas, a pista foi liberada para ciclistas.

 

HISTÓRIA


O Autódromo Internacional de Brasília faz parte do Complexo Poliesportivo Ayrton Senna, e foi inaugurado em 1974 com o nome de Autódromo de Brasília. Desde 1996, quando o piloto brasileiro Nelson Piquet, tricampeão da F1, se tornou arrendatário do local, passou a ser chamado oficialmente Autódromo Internacional de Brasília Nelson Piquet.

 

 

Emersom Fittipaldi venceu a prova especial de F1, na inauguração do autódromo, em 1974. Foto: Arquivo/Mclaren

 

 

O Autódromo de Brasília foi inaugurado pelo presidente Emílio Médici como mais uma obra grandiosa do período do Milagre Econômico, recebeu sua primeira prova, uma corrida de Fórmula 1 extracampeonato, vencida por Emerson Fittipaldi pilotando uma McLaren. Era considerado na época o circuito mais moderno do país e foi elogiado pelos pilotos da F1.

 

O autódromo tem área total de 726.822 metros. Dentro da área do autódromo ainda funcionam o Ferrari Kart, um kartódromo construído em 2003, e o Cine Drive-in, último do tipo no Brasil. O circuito tem 5.475,58 metros e tem seis curvas para a esquerda e seis para a direita, com a maior reta chegando a 750 metros. O traçado do circuito é elogiado desde a inauguração. O piloto Rubens Barrichello considera que o traçado é o melhor que o Brasil tem. O jornalista de automobilismo Reginaldo Leme considera que a pista de Brasília tem um traçado extremamente técnico e desafiador, “o que segundo ele agrada os pilotos que corriam ou que ainda correrão lá”, afirmou o especialista.

 

Foto – Renato Braga Setur-DF

 

CALENDÁRIO DE COMPETIÇÕES NACIONAIS

 

2 e 3/7: Stock Car

2 e 3/8: Turismo Nacional

3 e 4/9: Porsche Cup

(A definir): Império Endurance

1º e 2/10: Porsche Cup – Sprint

9/10: Porsche Cup – Endurance

6/11: Sprint Race

6/11: Copa Truck

19 e 20/11: Copa Shell

19 e 20/11: Turismo Nacional

20/11: Stock Car Pro Series