Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/11/20 às 20h24 - Atualizado em 26/11/20 às 20h25

Governo regulariza mais 25 templos, responsáveis por fomentar o turismo religioso

COMPARTILHAR

 

Há 22 anos, o pastor Natanael Pedro dos Santos celebra cultos numa igreja situada na QN 514 de Samambaia. Presidente daquela Assembleia de Deus localizada na parte sul da cidade, ele conta que nunca perdeu a fé de que um dia o templo religioso que preside seria regularizado. E esse dia chegou.

 

Ao receber a escritura das mãos da secretária de Estado de Turismo do Distrito Federal (Setur), Vanessa Mendonça, na manhã desta quinta-feira (26/11), o religioso desabafou emocionado: “Eu trabalho no meio evangélico desde 1960. É a primeira vez que conseguimos uma escritura. É uma bênção muito grande”.

 

Além da igreja dele, a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) entregou outras 24 escrituras a templos religiosos de várias denominações durante a mesma solenidade, que ocorreu no Palácio do Buriti e contou com a presença de várias autoridades políticas e religiosas. Entre as quais, o vice-governador, Paco Britto, os secretários José Humberto (Governo), Marcela Passamani (Justiça e Cidadania), Rosinha Estrela (Pessoa com Deficiência).

 

 

 

Templos católicos e de religiões de matriz africana, como Umbanda e Candomblé, também foram contempladas com o documento definitivo dos seus terrenos. Algumas estavam de portas abertas há décadas, funcionando sem escritura. É o caso da Catedral Militar. Como bem lembra o vice-governador, Paco Brito: “Foram 30 anos de espera do documento definitivo”.

Em seguida, Paco Britto fez uma revelação: “É a primeira vez que entidade religiosa de origem africana recebe escritura. No caso em questão, de um terreno no Guará. Então, não há discriminação neste governo”.

 

Esse tipo de iniciativa traz mais confiança essas entidades, que fazem parte do turismo religioso de Brasília, possam operar de forma legal, recebendo com segurança fies e adeptos religiosos do país e do mundo. A secretária Vanessa Mendonça reforça o discurso do vice-governador. Segundo ela, o governo atual demonstra com o gesto que atende a toda a população, independentemente, de crença religiosa. “O Governo do Distrito Federal demonstrou mais uma vez a importância de atender a diversos setores da sociedade. Uma cidade que nasceu pelo seu aspecto místico e religioso, o governador dá um grande passo em reconhecer e entregar essas escrituras, independente de religião, mas simplesmente pelo reconhecimento e respeito a todas as crenças da nossa cidade”, frisa.

 

À frente desse processo, o diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico, Leonardo Mundim, trouxe a lume uma marca deste governo. Segundo ele, de janeiro de 2019 até agora, o governo de Ibaneis Rocha entregou 120 escrituras a templos religiosos desde o lançamento do programa Igreja Legal ano passado. Uma média de 60 por ano.

O número obtido em apenas dois anos se aproxima da quantidade de igrejas regularizadas em uma década de governos passados, quando, no período entre 2009 e 2018, foram escrituradas somente 190 ocupações de entidades religiosas. Média de 21 a cada 12 meses.

 

Para Leonardo Mundim, a entrega dessas escrituras públicas que regularizam ocupações históricas, de entidades religiosas ou de assistência social “configura não um favor do estado, mas o reconhecimento do direito à regularização em face aos relevantes serviços sociais prestados por essas entidades à população do DF”.