Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/11/13 às 20h52 - Atualizado em 25/11/13 às 21h38

GDF já investiu R$ 50 milhões na recuperação de patrimônios culturais e históricos

COMPARTILHAR

Turistas da Copa do Mundo encontrarão uma cidade Patrimônio da Humanidade com edifícios restaurados

Até o fim do ano que vem, o Governo do Distrito Federal investirá R$ 250 milhões na recuperação desses espaços – R$ 50 milhões foram aplicados em três anos de gestão. O GDF identificou, em 2011, uma série de equipamentos públicos de cultura e patrimônios históricos que necessitavam de reforma e manutenção, a maioria deles abandonados há anos.

Desde então o governo começou um intenso trabalho de recuperação desses espaços. O primeiro monumento a ser atendido pelo Plano de Recuperação, iniciado ainda em 2011, foi o Catetinho. Em 2012 foi reaberto o Panteão da Pátria, que estava fechado desde 2008, e o Memorial dos Povos Indígenas. Também foi no ano passado que se iniciou a obra do Cine Brasília.

“O patrimônio cultural do DF estava na UTI. Nós identificamos uma série de problemas e começamos, há três anos, a restauração deles, pelo Museu do Catetinho”, explicou o subsecretário do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da Secretaria de Cultura, José Delvinei.

O próximo patrimônio a ser restaurado será o Teatro Nacional Claudio Santoro, com obra prevista para o início do ano que vem. Apesar da reforma, o GDF manterá o teatro aberto para visitação durante a Copa do Mundo, num formato de visitação de espaços culturais em obras, já utilizado na Europa.

“Nosso cronograma, ele estará fechado para espetáculos, mas vamos mantê-lo aberto à visitação. Entendemos que um prédio com essa importância arquitetônica para o mundo tem que está aberto para receber os turistas durante a Copa do Mundo. Pretendemos trazer uma experiência muito difundida hoje na Europa que é o “aberto para obras” em oposição ao “fechado para obras”, afinal, o visitante não pode ser penalizado pelo fato de o Estado investir na recuperação do patrimônio cultural”, explicou Delvinei.

Segundo o subsecretário, a empresa que fará a obra do Teatro já entregou o projeto básico, que neste momento esta sendo avaliado pelo Iphan. Conforme acordado pelo órgão com os bombeiros e atendendo a recomendação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o teatro fecha para o público no dia 23 de dezembro.

Em 2013 o governador Agnelo Queiroz também destinou recursos para a recuperação das igrejas de São Sebastião, São Geraldo, São José Operário, Casa do Cantador, Concha Acústica, Galeria Athos Bulcão e Espaço Lucio Costa e para a manutenção do Pólo de Cinema, muitas delas em fase final. Além disso, serão feitas também as obras do Museu de Artes de Brasília (MAB) e do Centro de Dança, que estão em processo licitatório. Foram destinados ainda mais de R$ 6 milhões para a contratação dos projetos do Memorial dos Povos Indígenas, Museu Vivo da Memória Candanga e Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul).

Com informações da Secretaria de Cultura